• Nº1 na Opinião dos Clientes
  • Poupe até 50% face às óticas de rua
  • Envio Rápido 24h a 48h
  • -20% Óculos de Leitura

Apoio ao Cliente
Apoio ao Cliente

Razões que provocam o desprendimento de retina

Os sintomas do descolamento de retina

A retina é uma capa interna do olho muito fina e delicada que diante de certos estímulos de tração, se rompe ou separa do tecido que a sustém. Se vê partículas brilhantes ou imagens irregulares como moscas flutuantes, deve ir ao oftalmologista já que se pode tratar de um desprendimento de retina.

São várias as circunstâncias que provocam o desprendimento desta membrana sensível à luz, a qual se localiza na parte posterior do globo ocular e permite processar tudo o que percebe através do sentido da vista.

Principais causas do desprendimento de retina

Qualquer pessoa é suscetível a apresentar este transtorno, no entanto, manifesta-se com maior frequência em pessoas míopes ou que tenham sido submetidas a cirurgia das cataratas.

Também é possível resultar de um traumatismo, como um forte golpe.

No primeiro caso, é obrigatório que a anomalia impeça de ver com claridade, degenera e afina a membrana periférica, pelo que é mais propicia a romper. Por outro lado, a segunda situação ocorre quando apresenta uma hemorragia devido à operação.

A retinopatia diabética, uveíte e outras patologias inflamatórias e infeciosas prolongadas, que levam à produção de vasos malignos na periferia ocular, são outras possíveis causas para o desprendimento da retina.

Como ocorre a separação?

O olho tem no seu interior um espaço atrás da lente, que é a lente natural, onde está localizado o humor vítreo. Essa substância gelatinosa preenche a cavidade posterior, dá volume e sustenta a lâmina que projeta as imagens.

Em condições normais, encontra-se aderida no epitélio pigmentar e acumula líquido entre os dois espaços. Quando há tração ou movimento, há uma retração e forma um ou vários orifícios por onde o líquido é filtrado.

Uma vez que passa pela abertura da retina, começa a levantar as camadas até que elas se soltem. Em alguns casos isso acontece de forma espontânea ou repentina, devido aos fatores já citados, incluindo, além disso, problemas hereditários.

Sintomas comuns de descolamento de retina

Esta condição não causa dor, mas causa sinais de alerta. No início começa a ver espécies de luzes, pontos em movimento ou sombras fixas em uma parte do campo visual. À medida que progride, a perda de visão espalha-se.

Se a área macular se separar, poderá ver tudo embaçado porque a visão se deteriora rapidamente. A menos que as camadas se juntem novamente, não funcionará corretamente e o dano será irreversível.

Se apresentar alguma destas manifestações, ou tem histórico familiar, deve ter muito cuidado ao se examinar. Esta condição é uma emergência médica e, se não for tratada prontamente, pode causar cegueira.

Tipos existentes de descolamento de retina

Existem três variedades ou tipos de descolamento de retina. Eles distinguem-se pelo mecanismo que desencadeia o seu aparecimento, bem como pelo tamanho e localização da área afetada. São os seguintes:

Regmatogênico

É o mais comum, principalmente entre pessoas com miopia avançada, pois a sua retina é mais fina que o normal. Caracteriza-se pela presença de humor vítreo aquoso, rutura por força de tração e um orifício por onde passa a substância.

Tracional

É a segunda forma mais frequente e é produzida pelo empurrão exercido pelo movimento do vítreo sobre as membranas fibrovasculares, seja por trauma ou retinopatia diabética.

Exsudativo

Resulta do acúmulo de fluido dentro da membrana sem furos ou rasgos. É secundária a processos inflamatórios ou tumorais, como síndrome uveomíngea ou síndrome de Vogt Koyanagi-Harada.

Como o descolamento de retina é diagnosticado?

Descolamento da Retina: Sintomas

Para determinar se é isso que está a causar problemas visuais, o oftalmologista fará algumas perguntas e testes específicos para verificar a sua retina e se há alguma doença subjacente que a esteja a afetar.

Com a ajuda de um instrumento especial chamado oftalmoscópio, o especialista irá verificar a parte interna para ver se está encaixada ou não. Se não for verificada com precisão, será realizada uma ecografia para analisar com mais precisão.

Sempre que for à consulta, é importante que tenha uma dilatação do fundo do olho para poder visualizar lesões anteriores. Se alguma anomalia for detetada, o especialista irá informar o que deve fazer para evitar maiores problemas.

Opções de tratamento de descolamento de retina

A maioria dos casos é resolvida com tratamento, que consiste em extrair o líquido e selar a fratura para que esta volte a colar e melhorar a visão do paciente. Há várias maneiras de o fazer:

Laser:

Com esta terapia, o trabalho é feito em torno da área descolada para fixar a membrana ao tecido ao qual está normalmente ligada e assim cicatrizar. Desta forma, o gel é impedido de penetrar na cavidade entre ambos e se separar.

Crioterapia

É uma técnica de congelamento da camada de células que está localizada ao redor da região rompida, que também produz um processo de cicatrização que funciona de forma semelhante ao tratamento a laser.

Vitrectomia

Consiste em uma cirurgia minimamente invasiva através da qual é retirada a gelatina do olho que impede a visão correta. Dependendo do dano, um gás ou óleo de silicone de maior ou menor duração é colocado no interior para reposicionar as camadas.

Retinopexia pneumática

Este procedimento é usado quando a porção destacada não é tão extensa. O que faz é injetar uma bolha de ar no vítreo para pressionar a membrana do olho e fechar a lágrima.

Fechamento escleral

Através desta prática cirúrgica, um anel ou faixa de silicone é colocado ao redor do globo ocular para impedir que o dano progrida e garantir que a retina permaneça no lugar.

Drenagem sub-retiniana

É utilizado para extrair o fluido acumulado sob o deslocamento quando este não é de grande magnitude, impedindo que se expanda ainda mais. Essa técnica facilita a cicatrização sem deixar nenhum tipo de sequela.

Prognóstico

Geralmente, os pacientes recuperam a visão após passar por qualquer um destes tipos de tratamentos. No entanto, o resultado depende da localização e do grau da doença, bem como do tempo que levou para receber atendimento médico.

Se a mácula não for afetada e permanecer unida, as perspetivas são muito boas. Este tecido localizado na parte de trás do olho é o que nos faz ver com clareza e detalhes. Quando está danificado, perdemos a nossa acuidade visual.

O prognóstico é igualmente bom se a retina se reconectar dentro de 48 horas. Se esteve separada por mais tempo, teve sangramento ou cicatriz, então é desfavorável. Alguns pacientes precisam de duas ou mais cirurgias. Tudo depende do caso e da avaliação do especialista.

Cuidados posteriores

Durante o pós-operatório, é preciso agir com cautela para evitar inconvenientes que atrasem ou impeçam a plena recuperação. Se tiver um fechamento escleral, provavelmente precisará de um internamento hospitalar por vários dias.

Para que tudo corra bem é preciso manter a cabeça elevada e não tentar dobrar o corpo para levantar objetos ou na hora da evacuação. Também não é conveniente realizar exercícios ou fazer movimentos bruscos por pelo menos 4 semanas.

Para dormir, deve-se deitar de costas ou de lado contrário ao olho operado. Dependendo da técnica utilizada, o médico recomendará fazer semi-incorporada para prevenir a inflamação.

Quanto tempo dura o repouso?

A duração do repouso depende da intervenção realizada. Alguns exigem deixar um gás ou óleo dentro da cavidade ocular para que as camadas fiquem próximas e retornem ao seu lugar. Na maioria das vezes, a reabsorção leva entre 10 e 15 dias.

Enquanto houver bolhas dentro, o paciente não conseguirá ver claramente, pois as substâncias injetadas causam problemas de visão nas primeiras semanas. Alguns gases duram até um mês e meio para cumprir a sua função, por isso são utilizados em circunstâncias especiais.

O tempo de repouso para fotocoagulação ou crioterapia é de 3 a 10 dias, enquanto para outros procedimentos é de aproximadamente três semanas. Isso não deve preocupar o paciente uma vez que irá recuperar gradualmente a sua visão.

É possível prevenir esta patologia?

Embora não haja como evitar a separação da camada mais interna, é possível tomar medidas para reduzir o risco. Por exemplo, fazer um check-up oftalmológico regular. Os exames são importantes para saber o estado da sua saúde visual.

Se é míope ou tem alguma outra patologia como diabetes mellitus, mais uma razão para ir a uma consulta para ser avaliado. Lembre-se que esta condição é uma das principais causas de perda de visão.

Além disso, nem todas as pessoas com esse problema apresentam os sintomas indicados, pois pode ser devido a diferentes causas. Uma revisão oportuna permite que qualquer alteração seja detetada e tratada prontamente.

Outra coisa recomendada é usar óculos para proteger os olhos ao praticar desporto ou atividades de risco. Se sofrer um golpe ou arranhão no olho, vá imediatamente ao oftalmologista para verificar.


Artigos Relacionados

Pesquisa

Temas
Conforto superior ao longo de todo o mês com as Lentes Hydrasense Lentes de Contacto

Top 10 artigos

Top 10
Olhos Secos e Sensiveís com BioNatural Líquidos
Opiniones de Clientes en Lentes de Contacto 365
Apesar do elevado número de encomendas, todos os pedidos estão a ser expedidos com normalidade. Saiba mais »