• Nº1 na Opinião dos Clientes
  • Poupe até 50% face às óticas de rua
  • Envio Rápido 24h a 48h
  • -20% Óculos de Leitura

Apoio ao Cliente
Apoio ao Cliente

Cataratas nos olhos: sintomas, como prevenir e como tratar

As cataratas nos olhos constituem a causa mais comum de perda de visão em pessoas com mais de 40 anos, embora, felizmente, o problema seja resolvido com uma cirurgia oftálmica simples.

Uma catarata não é nada mais do que uma opacidade que se forma gradualmente no cristalino, que é a lente natural do olho, localizado atrás da íris e da pupila. Existem pessoas que têm uma catarata apenas num olho e outras que sofrem de cataratas nos dois. Nestes casos, a operação às cataratas é usada para resolver o problema dos dois olhos afetados.

Exame para deteção de catarata

Quais são os sintomas das cataratas nos olhos?

Quando uma catarata já está relativamente avançada, é fácil reconhecê-la porque o olho afetado se apresenta como uma teia esbranquiçada. Mas quais são os sintomas das cataratas que nos alertam que devemos visitar um oftalmologista?

Os sintomas variam dependendo do tipo de catarata de que estejamos a falar e podem ser confundidos com outras condições, como glaucoma e degeneração macular. Portanto, devido à perda da acuidade visual em qualquer área do campo de visão, é necessária uma consulta urgente ao oftalmologista.

Os principais tipos de cataratas e os seus sintomas são os seguintes:

  • Catarata nuclear, assim chamada porque fica no centro do olho, no núcleo do cristalino. É o tipo de catarata mais relacionado com o envelhecimento.
  • Catarata subcapsular aparece na parte de trás do cristalino. Essa catarata afeta mais pessoas com diabetes e aquelas que recebem tratamentos prolongados com esteroides.
  • Catarata cortical quando começa nas bordas externas do cristalino e se aproxima do centro à medida que cresce.

Na fase inicial, uma catarata pode passar despercebida porque às vezes até produz uma melhora temporária na visão. Os primeiros sintomas das cataratas que afetam a visão são, em suma, muito gerais e normalmente consistem em:

  • Problemas com recepção de luz;
  • As cores podem parecer menos vivas;
  • Ofuscamento se um raio de luz incidir sobre nós na escuridão. Muitos pacientes começam a notar estes sintomas ao conduzir à noite.

Possíveis causas de cataratas

O cristalino é a lente natural do olho humano. É transparente e basicamente composto por água e proteínas. Para preservar a transparência, as proteínas do cristalino são dispostas de maneira ordenada, embora existam fatores, principalmente a idade avançada, que fazem com que essas proteínas se desorganizem e formem acúmulos.

Com cada acúmulo, vai-se nublando um pouco uma parte do cristalino e o campo visual já não é completamente nítido em toda a sua extensão. No início da formação da catarata, os acúmulos de proteínas costumam ser discretos, ou seja, não aparecerão no campo visual em zonas onde apenas possa ver, mas antes em áreas onde vê um pouco pior. Também se podem formar aglomerados de proteínas com uma distribuição bastante regular e, se afetar os dois olhos, talvez demore mais a aperceber-se.

Existem outros fatores que parecem aumentar o risco de sofrer de cataratas:

A exposição contínua aos raios ultravioleta sem proteção adequada, seja do sol ou de outras fontes. Este fator explicaria por que é que o risco de cataratas aumenta na velhice e por que é que é raro afetar pessoas jovens. Diabetes, uma doença que também causa outros problemas oculares, como retinopatia diabética.

  • Hipertensão;
  • Glaucoma, que é hipertensão ocular;
  • Uso prolongado de corticosteroides;
  • Antecedentes familiares de certas doenças oculares.
  • Ter feito cirurgia ocular anteriormente;
  • Tabagismo;
  • Consumo elevado de álcool;
  • Obesidade;
  • Miopia magna;
  • Outras lesões oculares.

Embora não esteja confirmado, existe a hipótese de que o acúmulo de proteínas no cristalino seja favorecido por reações de oxidação no mesmo. Se essa hipótese for correta, uma dieta rica em antioxidantes variados, adotada desde a infância ou no início da juventude, poderia retardar significativamente a idade de aparecimento das cataratas mais associadas à idade avançada.

Como prevenir as cataratas

  • Usar óculos de sol sempre que se exponha a ambientes onde os raios solares sejam intensos, ou mesmo diariamente, e proteção específica se lidar com radiação ultravioleta no trabalho.
  • Ter uma dieta equilibrada e rica em antioxidantes, na qual não faltam ácidos gordos de ômega 3.
  • Tentar manter um peso saudável e a tensão arterial dentro dos limites normais.
  • Reduzir ou evitar o consumo de álcool e tabaco.
  • Fazer exames oftalmológicos periódicos, especialmente se houver um historial familiar para detetar uma possível catarata antes que possa perceber os sintomas iniciais.

Quais são os riscos?

As cataratas podem levar quase à cegueira, mas antes que isso aconteça, o tecido opaco é removido com uma cirurgia que é uma das mais seguras que existem. A taxa de sucesso é de 95%.

Atualmente já existem cirurgias em que o cristalino por uma lente, aproveitando a necessidade de corrigir um importante problema de visão, para que essa lente garanta que não haverá cataratas no futuro.

Como se tratam as cataratas?

A cirurgia às cataratas é realizada quando a perda da acuidade visual começa a interferir na sua vida diária, mas os tratamentos mais conservadores são usados primeiro. Estes tratamentos iniciais consistem em apoiar a visão com lentes bifocais e cuidar da alimentação e, bem como o uso de suplementos, juntamente com os demais fatores de prevenção que podem ser adotados.

Geralmente, uma catarata demora vários anos para comprometer a visão, portanto, com o tratamento conservador, pode levar uma vida normal durante muito tempo.

Chegada a hora da cirurgia, atualmente o mais normal é o cirurgião colocar uma lente intraocular no lugar ocupado pela lente opaca que o impedia de ver e essa lente já garante que aquele olho não volte a sofrer de cataratas outra vez.

No entanto, como todas as cirurgias envolvem um risco, mesmo que seja apenas devido ao uso da anestesia, embora não haja necessidade, a cirurgia geralmente é adiada, como acontece com outras doenças oculares, como miopia magna.

Se a sua cirurgia às cataratas não incluir a colocação de lentes intraoculares, é quase certo que precisará de usar óculos para presbiopia ou lentes bifocais para corrigir pequenos erros de refração residuais.

As cataratas são uma doença ocular que condenou os nossos antepassados a uma vida de quase cegueira, mas hoje é resolvida com sucesso na maioria dos casos graças a uma cirurgia simples. No entanto, essa cirurgia costuma ser adiada durante algum tempo, em que se avalia a evolução das cataratas e se tenta retardar esse processo, que às vezes já é muito lento.

Os sintomas iniciais das cataratas costumam passar despercebidos, por isso recomendamos que faça exames oftalmológicos periódicos e adote as medidas de prevenção que puder, quanto mais melhor.


Artigos Relacionados

Pesquisa

Temas
Conforto superior ao longo de todo o mês com as Lentes Hydrasense Lentes de Contacto

Top 10 artigos

Top 10
Olhos Secos e Sensiveís com BioNatural Líquidos
Opiniones de Clientes en Lentes de Contacto 365
Apesar do elevado número de encomendas, todos os pedidos estão a ser expedidos com normalidade. Saiba mais »