• Nº1 na Opinião dos Clientes
  • Poupe até 50% face às óticas de rua
  • Envio Rápido 24h a 48h
  • -20% Óculos de Leitura

Apoio ao Cliente
Apoio ao Cliente

Retinoblastoma: o que é, sintomas e tratamento

Retinoblastoma: o que é?

A palavra cancro é assustadora, mas quando se trata de uma criança, é de partir o coração. Nós nunca queremos que isso aconteça com uma criança ou membro da família. No entanto, quando isso acontece, é hora de obter mais informações para poder apoiá-los da melhor maneira. O retinoblastoma é um desses casos

É um cancro de olho que raramente atinge adultos e em maior número crianças, mesmo desde o nascimento. A doença inicialmente ataca a retina de um olho ou de ambos ao mesmo tempo.

Durante a gravidez pode proceder ao seu diagnóstico. Mas acontece com mais frequência que, se ocorrer em ambos os olhos, é detectado com um ano de idade e, se, pelo contrário, afetar apenas um, ocorre aos 2 ou 3 anos de idade.

Existem dois tipos: hereditários e não hereditários. Em ambos, o tumor pode-se espalhar para muitas áreas do corpo, como fígado, coluna vertebral ou cérebro.

Herança genética

A retina está localizada na parte de trás do olho, na parte inferior do órgão. É um revestimento que se caracteriza por receber a luz do exterior e transformá-la em imagens, através de um impulso nervoso que envia ao cérebro. Precisamente, esta área é afetada pelo retinoblastoma.

Ela desenvolve-se nos estágios iniciais do crescimento de um bebê, quando as células oculares da retina começam a crescer até que, pela sua natureza, devem parar. Mas, nesta situação, eles continuam o seu progresso e terminam de formar o tumor.

É causada por um gene defeituoso. A criança pode herdá-lo de um dos pais e, neste caso, ambos os olhos geralmente são afetados. Existe também a possibilidade de que tenha sido produto de uma mutação genética já que o bebê estava no ventre da mãe, isso é mais comum que o anterior.

Sintomas de retinoblastoma

Síntomas da retinoblastoma
Eles são diversos e aparecem de forma independente. Destacam-se os seguintes:

  • O estrabismo ocorre. Ou seja, os olhos não se movem como um par, mas em direções diferentes.
  • Dor aguda ao redor de um ou ambos os olhos. Além disso, há presença de inflamação e irritação.
  • Um ou ambos os globos oculares parecem maiores.
  • Uma espécie de reflexo branco aparece na pupila, tornando-a esbranquiçada. Se se deixar guiar por uma foto, verá que somente no olho saudável aparecerá o singular ponto vermelho devido ao flash. Além disso, pode vê-lo usando luz artificial.
  • Há uma mudança na cor da íris.
  • Problemas de visão. Como dificuldade em focar objetos, dificuldade em controlar movimentos e visão turva.

Os sintomas acima também são típicos de outras condições oculares. Precisamente por isso é urgente que levem a criança a um check-up médico. O especialista determinará a causa e definirá a situação e o tratamento correspondente.

Diagnóstico de retinoblastoma

Em qualquer situação, os exames de saúde devem ser constantes em bebés. Havendo ou não suspeita de doença, é recomendado que as crianças sejam submetidas a avaliações periódicas com seu médico assistente.

No caso do retinoblastoma, essa etapa diagnóstica torna-se ainda mais importante, pois permitirá uma ação oportuna e evitará que o cancro se espalhe por todo o olho ou outras partes do corpo, dificultando o tratamento.

A consulta para descartar ou confirmar inclui exames de imagem, exames físicos, ressonâncias magnéticas, tomografias computadorizadas e testes de visão.

Passo a passo

Primeiro, o médico fará um teste de reflexo vermelho com um oftalmoscópio, um instrumento de aumento que usa uma luz forte numa extremidade. Isso ocorre num quarto escuro. Se vir um ponto vermelho, a retina está normal. Se o ponto for branco, há problemas.

Se os resultados forem negativos, será necessária a revisão de um oftalmologista para investigar melhor os órgãos. Além disso, prosseguirá com um teste de reflexo vermelho, mas, desta vez, serão aplicadas gotas para dilatar as pupilas. Isso facilitará uma visão mais ampla da área.

Uma ecografia pode ser necessária, um procedimento indolor onde uma pequena sonda de ultrassom será colocada para depois esfregar a pálpebra e digitalizar a parte interna do olho.

Se os resultados ainda forem negativos, será necessário que seja visto por uma equipe mais especializada no assunto. A criança terá que passar por uma cirurgia sob anestesia geral, onde os olhos serão examinados de forma mais minuciosa para confirmar ou descartar definitivamente o retinoblastoma.

Tratamento de Retinoblastoma

A forma de proceder com esse tipo de cancro vai depender do grau de desenvolvimento que ele apresenta na criança afetada. Além disso, se estiver localizado em um ou ambos os olhos. Além disso, o médico precisará de considerar quão alta é a possibilidade de que ele se espalhe.

Para focar corretamente o tratamento, é necessário investigar o estágio do tumor. Isso pode ser:

  • Intraocular: tumor localizado inteiramente dentro do olho
  • Extraocular: Cancro que se espalhou para os tecidos ao redor do olho ou para outros órgãos.

Tratamento de pequenos tumores

Existem duas opções para atacar tumores que afetam apenas a parte interna dos globos oculares. Primeiro, a terapia a laser, na qual a massa cancerosa é destruída. Se for difícil, a quimioterapia será realizada.

A segunda alternativa é congelar imediatamente o tumor para matar as células. A criança receberá anestesia geral e, em estado de total inconsciência, o pterígio será destruído. A quimioterapia também pode ser necessária.

Tratamento de tumores maiores

Devido à dificuldade de um tumor maior, vários procedimentos podem precisar ser feitos ao mesmo tempo e uma equipe de oncologistas pediátricos pode ser necessária.

  • Braquiterapia: Isso é feito se o tumor não for muito grande. O especialista vai fechar algumas pequenas placas radioativas na massa e depois de alguns dias espera-se que ela seja destruída para removê-la.
  • Quimioterapia: Usada para encolher o olho quando o tratamento começa ou para evitar que o cancro comece a espalhar-se. O tratamento pode ser administrado por via intravenosa ou diretamente no olho.
  • Cirurgia para remover o olho: É usada no caso de apenas um olho ser afetado e quando não há mais visão. Para remediar o efeito, é possível colocar um olho artificial no seu lugar.

Deve ter em mente que, se o cancro se espalhou, é muito comum que o paciente precise de quimioterapia em altas doses combinada com um transplante de medula óssea. Pode considerar tratamentos alternativos, como ensaios clínicos ou terapias direcionadas.

Prevenção

Não existem procedimentos para prevenir o retinoblastoma. Noutras palavras, não há medidas que deva tomar, em termos de dieta ou estilo de vida, que ajudem a reduzir as possibilidades de seu filho adquirir.

No entanto, é prudente que tenha em conta que se um familiar sofreu com isso, deve acompanhar desde a gravidez se aparece algum sintoma, para proceder aos testes de rastreio. Isso permitirá que o tratamento seja descartado ou iniciado a tempo.

Efeitos colaterais do tratamento

É comum que os efeitos colaterais se desenvolvam a partir do tratamento para qualquer tipo de cancro. Com retinoblastoma não há exceção. A desvantagem é que, por ser uma criança, as consequências serão evidentes na fase de desenvolvimento.

Por esse motivo, os oncologistas determinam cuidadosamente as medidas para reduzir os riscos. Nesse sentido, todas as decisões serão tomadas em conjunto. É importante que sempre saiba as etapas que serão executadas.

O objetivo é evitar a perda de visão. De qualquer forma, se um olho for afetado por esse cenário, é provável que o outro possa ser salvo, considerando que não há tumores nessa área. Dessa forma, a criança poderá adaptar-se sem maiores complicações na sua vida.

Mas, se ambos os olhos forem afetados pelo cancro, seu filho terá dificuldades para ver no futuro, sendo necessário o uso de implementos que apoiem seu desenvolvimento diário. Uma boa opção é levá-lo a uma escola especializada.

Alerta em caso de suspeita

Agir na hora é crucial. Portanto, deve levar em consideração, desde a fase de gestação, se há histórico de retinoblastoma na família. Em caso afirmativo, deve informar o seu médico de família ou parteira. Sendo uma patologia hereditária, o bebé está em risco.

Nessa ocasião, serão realizados exames diagnósticos em centros especializados que possuem os mecanismos para atuar no feto. Se esta opção não for viável, as amostras serão colhidas assim que o nascimento ocorrer.

Os resultados permitirão identificar o tipo de tumor para iniciar o planeamento do tratamento do cancro. Se esses exames não forem feitos nesse período, a criança terá que passar por avaliações constantes, em alguns casos sob anestesia geral.

Dessa forma, fica evidente que diante de um possível desenvolvimento de retinoblastoma, a solução é a cautela. Certamente, não pode ser evitado, mas é possível agir rapidamente para evitar que o tumor se desenvolva. Em caso de suspeita, a saúde visual da criança deve ser o centro das atenções.



Artigos Relacionados

Pesquisa

Temas
Conforto superior ao longo de todo o mês com as Lentes Hydrasense Lentes de Contacto

Top 10 artigos

Top 10
Olhos Secos e Sensiveís com BioNatural Líquidos
Opiniones de Clientes en Lentes de Contacto 365
Apesar do elevado número de encomendas, todos os pedidos estão a ser expedidos com normalidade. Saiba mais »