• Nº1 na Opinião dos Clientes
  • Poupe até 50% face às óticas de rua
  • Envio Rápido 24h a 48h
  • -20% Óculos de Leitura

Apoio ao Cliente
Apoio ao Cliente

Entendendo o melanoma ocular - Um tipo de cancro que afeta a visão

Quando se fala em melanoma, a palavra certamente está associada ao cancro de pele. Essa é a definição mais comum, mas também se refere a um tipo de cancro que afeta a saúde dos olhos. Especificamente, a úvea, que é uma camada de tecido localizada no meio do olho.

É conhecido como melanoma ocular e é o que mais se desenvolve nos órgãos da visão. Especificamente, prejudica as células responsáveis por dar pigmento aos olhos.

Apresenta-se de duas maneiras. No olho diretamente e é chamado de cancro de olho primário ou começa noutras áreas do corpo, até se espalhar para o olho e é chamado de cancro de olho secundário. As estatísticas indicam que o segundo é o mais comum.

Sintomas de melanoma ocular

Na pele existem muitos vestígios que alertam para a presença de um possível melanoma: pintas, feridas, caroços incomuns, entre outros. Mas, quando se trata de um tumor ocular, os sintomas, em primeiro lugar, são silenciosos, quase imperceptíveis ou não aparecem. Por esta razão, pode permanecer oculto.


Melanoma Ocular -um tipo de cancro que afeta a visão

Os sinais mais comuns incluem o aparecimento de uma mancha escura na área branca do olho, que cresce com o tempo, ou alterações perceptíveis na pupila. Além disso, pode apresentar:

  • Visão turva;
  • Luzes intermitentes, círculos, pontos, linhas ou teias de aranha no campo de visão;
  • Perda da visão periférica;
  • Olhos lacrimejantes;
  • Deslocamento do olho dentro da órbita;
  • Percepção de moscas volantes no campo visual. São manchas ou formas aleatórias que se movem sem direção.

Em alguns casos pode não haver sintomas. Enquanto que noutros aparecem. Deve levar em consideração que esses sinais também estão relacionados com outros distúrbios da visão, por isso é necessário que vá ao seu oftalmologista.

Causas do Melanoma Ocular

Embora cientistas e pesquisadores não tenham encontrado as origens do melanoma ocular, existem fatores de risco que aumentam as possibilidades de desenvolver essa condição. A exposição prolongada à luz solar é a principal, pois os raios UV causam melanoma conjuntival na superfície do olho.

Outras causas são:

  • Exposição à luz ultravioleta em câmaras de bronzeamento.
  • Cor dos olhos claros: Ao contrário das pessoas com olhos pretos ou castanhos, aqueles com olhos verdes ou azuis correm mais risco.
  • Origem étnica: os caucasianos são mais propensos a sofrer com isso.
  • Pigmentação estranha na úvea, a camada entre a retina e a parte branca do olho.
  • Síndrome do nevo displásico: as pessoas com esta doença têm pintas estranhas, caracterizadas por sua irregularidade e cores diferentes do normal. Esta complicação da pele pode levar ao melanoma ocular
  • Idade: embora o aparecimento desse tipo de tumor ocorra em qualquer idade, as pessoas mais velhas são mais propensas a sofrer com isso.

Diagnóstico

Devemos sempre falar sobre a detecção precoce de patologias crônicas. Esta é a única maneira de evitar consequências irreversíveis. Quanto ao melanoma ocular, a situação não muda.

Encontrar um tratamento eficaz depende do diagnóstico precoce. Para isso, deve visitar o seu oftalmologista periodicamente. Se houver suspeitas, o especialista provavelmente verificará os vasos sanguíneos do olho para avaliar o seu tamanho.

Se forem ampliadas, com certeza o especialista vai querer uma melhor perspectiva do caso, para saber como proceder. Portanto, precisará passar por outros exames oftalmológicos para examinar a parte interna do olho. Especificamente, estudará o cristalino, a retina e o nervo ótico com uma oftalmoscopia.

Existem dois tipos:

  • Indireto: Procedimento realizado numa sala escura, onde um raio de luz externa muito brilhante é projetado através de uma lente binocular para avaliar primeiro um olho e depois o outro.
  • Direto: Este estudo também é realizado numa sala escura. Mas um equipamento com uma única ocular é usado para observar o olho.

As pupilas podem precisar de ser dilatadas e a abertura ocular aumentada. Em muitos casos, este estudo é suficiente para detectar o melanoma.

Outros testes

Se as suspeitas forem confirmadas, outros exames serão realizados, como um ultrassom, já que, graças às ondas sonoras de alta frequência, os melanomas costumam ser vistos com mais detalhes. Além disso, exames de ultrassom são viáveis para determinar a espessura do tumor.

Outra opção é a angiografia com fluoresceína. Aqui o paciente é submetido a uma injeção intravenosa de corante amarelo. Uma câmara especial tira fotos com flash do caminho da substância até o olho para examinar os efeitos nos vasos sanguíneos da retina.

Quando há o diagnóstico definitivo de melanoma ocular, o paciente é encaminhado a uma equipe de oncologistas para iniciar o tratamento do cancro.

Metástase

Se se determinar que o tumor está metástase, provavelmente envolverá o fígado. Por que se espalha dessa maneira ainda não foi determinado. Diante desse cenário, será necessário realizar outros testes, como:

  • Exames de sangue para confirmar se ele se espalhou para o fígado.
  • Radiografia de tórax para avaliar danos aos pulmões.
  • Ressonância magnética ou tomografia computadorizada para descartar a presença em outras partes do corpo.
  • Biópsia para analisar o tecido no laboratório.

Nesse caso, a solução é determinar o que é mais viável de se praticar alguma cirurgia, quimioterapia ou radioterapia diretamente nos demais órgãos afetados.

Tratamento do Melanoma Ocular

O estabelecimento do tratamento dependerá de vários fatores. Principalmente o tamanho do tumor. Em seguida, deve-se verificar o tipo de pterígio, sua localização e o estado de saúde do paciente.

Caso seja pequeno, pode ser conveniente realizar controlos contínuos e não intervir no local. Mas, se for grande, será necessário passar por cirurgia ou radioterapia. Possivelmente, ambos os métodos são combinados.

Radioterapia

A radioterapia é usada para destruir o material genético cancerígeno e impedi-lo de se reproduzir para impedir danos às células que permanecem saudáveis. É aplicado dentro ou fora do olho. Existem dois tipos de terapia:

  • Braquiterapia: Próximo do local da massa, uma pequena placa ou implante contendo sementes de iodo-125 é saturado para reduzir o seu tamanho. Durante quatro ou cinco dias o objeto emitirá radiação. O oculista deve controlar a evolução. A emissão não afeta o tecido saudável graças à placa.
  • Terapia com feixe de prótons: da frente do olho, o feixe de radiação é direcionado através de um tubo em direção ao tumor. Desta forma, o tumor é atacado e não os tecidos circundantes.

Existe a possibilidade de efeitos colaterais, como catarata, sangramento no olho ou danos à visão. É dever do especialista determinar os riscos e comunicá-los ao paciente.

Cirurgia de Melanoma Ocular

Dependendo do tamanho e localização do tumor, será estipulado se o tumor e possivelmente uma pequena porção do tecido saudável circundante devem ser removidos. Tem várias opções acessíveis:

  • Iridectomia: As partes da íris que contêm os pequenos melanomas que não se espalham serão removidas.
  • Iridotrabeculectomia: se ocorrer disseminação do melanoma, partes da íris e áreas que poderiam ter sido afetadas serão removidas.
  • Iridociclectomia: será retirada uma parte da íris e do corpo ciliar, camada onde estão localizados os vasos sanguíneos.
  • Coroidectomia: a coróide, a área pigmentada do olho e onde há vasos sanguíneos, é removida, juntamente com uma seção da parede do olho.
  • Enucleação: Se o tumor for grande, todo o olho é removido. Posteriormente, é possível colocar uma prótese ocular que serve como substituto cosmético.

Outros tratamentos

Para evitar submeter o paciente a métodos invasivos e se o pterígio for pequeno, diferentes tratamentos podem ser aplicados, como:

  • Termoterapia transpupilar: para encolher pequenos tumores administrando calor de um laser infravermelho.
  • Crioterapia: com nitrogênio líquido as células cancerosas são congeladas e eliminadas.

Prevenção do Melanoma Ocular

A idade e a origem étnica não são modificadas ou alteradas, neste sentido é impossível prevenir o melanoma ocular. No entanto, existem hábitos que devem ser adquiridos para diminuir as probabilidades de sofrer com esse tipo de cancro. Vamos ver:

  • Quando estiver ao ar livre use sempre óculos de sol. É necessário evitar que a vista seja exposta aos raios UV. É muito fácil de conseguir, escolha óculos que forneçam 100% de proteção UVA e UBA.
  • Use também protetor solar ao redor dos olhos. Desta forma, as pálpebras e áreas circundantes não ficarão expostas ao melanoma. Escolha uma que seja barra para ter certeza de que a substância não vai invadir o interior dos órgãos e causar irritação.
  • Chapéus e bonés também protegem do sol.

Além de um melanoma ocular, os raios UV atuam na formação da catarata e na degeneração macular. Daí a importância de evitá-los. Acrescente a essas medidas exames oftalmológicos regulares. Agir com tempo reverterá as condições futuras na sua saúde visual.


Artigos Relacionados

Pesquisa

Temas
Conforto superior ao longo de todo o mês com as Lentes Hydrasense Lentes de Contacto

Top 10 artigos

Top 10
Olhos Secos e Sensiveís com BioNatural Líquidos
Opiniones de Clientes en Lentes de Contacto 365
Apesar do elevado número de encomendas, todos os pedidos estão a ser expedidos com normalidade. Saiba mais »