• Nº1 na Opinião dos Clientes
  • Poupe até 50% face às óticas de rua
  • Envio Rápido 24h a 48h
  • -20% Óculos de Leitura

Apoio ao Cliente
Apoio ao Cliente

O que é blefarite e como realizar uma higiene adequada nas pálpebras

A saúde visual deve ser uma das suas prioridades, pois o seu bem-estar geral será afetado quando os seus olhos desenvolverem alguma patologia. Entre as muitas condições a que estamos expostos, surge a blefarite, um assunto que iremos abordar nas próximas linhas.

Caso os seus olhos ou pálpebras estejam vermelhos, com ardência, comichão e começarem a surgir crostas na borda das pestanas, é hora de consultar um oftalmologista. Pode estar a sofrer de blefarite, uma condição que deve ser controlada a tempo para evitar complicações.

Continue a ler para saber mais sobre esta doença, as suas causas, sintomas e, o mais importante, o seu tratamento.

O que é blefarite?

A blefarite é uma doença ocular que causa vermelhidão nas pálpebras, inflamação, prurido e irritação. Manifesta-se como uma espécie de escamas ou crostas na zona das pestanas.

O que é blefarite?

As pessoas com pele oleosa, caspa ou rosácea são propensas a sofrer desta condição incomodativa, que não é contagiosa de pessoa para pessoa, mas que requer medidas de higiene extremas para a zona dos olhos e das mãos.

Deverá consultar um oftalmologista assim que os primeiros sintomas aparecerem, assim evitará que o desconforto seja agravado. O especialista indicará o tratamento, no qual a limpeza das pálpebras é uma constante, a fim de remover as crostas que são formadas.

Estes são os sintomas comuns da blefarite

No início só vai sentir uma sensação que algo está nos seus olhos. Mais tarde, poderá sentir queimaduras, lacrimejo, comichão, fotofobia, inchaço e vermelhidão das pálpebras, corrimento, secura, crosta, estes sintomas são comuns ao acordar.

Por vezes, à medida que a blefarite piora, também causa visão turva, inflamação da córnea e perda de pestanas. O acompanhamento com um especialista ajudará a combater estes sintomas.

O que causa a blefarite

As bactérias estão presentes no ambiente e no nosso corpo. No entanto, quando são reproduzidas em áreas suscetíveis, como as pestanas e a zona dos olhos, isso pode levar a condições graves. É o caso da blefarite.

Da mesma forma, as pessoas que têm uma doença das glândulas sebáceas localizadas nas pálpebras, que sofrem de caspa ou rosácea, podem desenvolver esta doença. A chave para preveni-la está na higiene facial, com ênfase na área dos olhos.

Em resumo, remover sujidade, caspa e bactérias das pestanas, bem como manter os olhos atentos a um possível bloqueio das glândulas Meibomianas (glândulas sebáceas nas pálpebras), são bons hábitos para prevenir a blefarite.

Existem dois tipos de blefarite

Distinguem-se dois tipos de blefarite, determinados pela área afetada pela doença. Ambos podem ocorrer simultaneamente ou separadamente.

Blefarite Anterior

A blefarite anterior é o nome dado à blefarite que é desenvolvida na área externa do olho, na borda das pestanas. O seu aparecimento é atribuído à proliferação de bactérias na pele, à presença de caspa no couro cabeludo e nas sobrancelhas.

As alergias e os ácaros também causam blefarite anterior.

Blefarite Posterior

A blefarite posterior afeta a área interna da pálpebra que permanece em contacto com o globo ocular. Quando as glândulas Meibomianas ficam inflamadas ou obstruídas, desencadeiam as condições para que essa situação ocorra.

Um exame oftalmológico de rotina é suficiente para diagnosticar a blefarite. A aparência dos olhos, pálpebras e pestanas, assim como a sensibilidade à luz, fornecem pistas suficientes para determinar a presença deste distúrbio de saúde ocular.

A blefarite leva a outras doenças oftalmológicas

A blefarite não vem sozinha e, após o seu aparecimento, podem seguir-se outras condições que afetarão a saúde dos seus olhos.

Hordéolo

Uma glândula sebácea bloqueada causa inchaços dolorosos, que parecem borbulhas vermelhas e grumosas. Eles normalmente desaparecem por conta própria em poucos dias. A aplicação de compressas quentes na pálpebra ajuda a aliviar a inflamação.

Calázio

Um calázio é outra inflamação da pálpebra. É uma espécie de nódulo maior que um hordéolo, muitas vezes indolor, localizado no interior da pálpebra. Também está associado à obstrução das glândulas sebáceas e por vezes contém pus.

Olho Seco

Quando as crostas e a inflamação da blefarite impedirem a lubrificação natural do olho, a secura surgirá em breve. Este desbaste da camada lacrimal que reveste o olho também o deixará sem a proteção de que necessita.

Condições da córnea

Se a blefarite não for controlada e se espalhar para a área mais próxima do globo ocular, a córnea (membrana transparente localizada na parte frontal do olho) também sofrerá. É uma questão de cuidado especial, pois a visão da pessoa está comprometida.

Irritação crónica

Quando a blefarite não é devidamente tratada, a irritação e vermelhidão dos olhos podem tornar-se um problema crónico.

Este é o tratamento mais comum para a blefarite

Como já mencionamos, a higiene das pálpebras é essencial para prevenir ou curar a blefarite.

Recomenda-se o uso de água e um detergente suave e não irritante, como o champô para bebés, para limpar cuidadosamente as pálpebras e as pestanas, libertando-as das crostas que aparecem. É uma rotina que deve ser realizada diariamente, pelo menos a cada 12 horas.

É claro que, antes de manusear os olhos, deverá ter as mãos e todas as ferramentas que vai utilizar muito limpas.

O ideal é misturar sabão líquido e água morna em partes iguais, usar compressas de gaze, um pano macio ou discos de algodão, mergulhá-los na mistura de sabão e proceder à limpeza das pálpebras. À medida que a área é limpa, a água quente irá ajudar a reduzir o inchaço.

Após a limpeza completa com a solução à base de sabão, esta deve ser enxaguada com água limpa e seca com um pano macio.

Outras opções para cuidar dos olhos quando tiver blefarite

O bicarbonato de sódio diluído em água e solução fisiológica também são produtos úteis para a higiene das pálpebras. Existem também produtos comercialmente disponíveis adequados para este fim.

O uso de compressas quentes ajuda a aliviar o desconforto, reduzir as crostas e descongestionar os canais lacrimais e as glândulas sebáceas.

Tratamentos sob supervisão médica rigorosa

Existem vários produtos farmacológicos utilizados no tratamento da blefarite, que devem ser utilizados de acordo com as instruções do oftalmologista. A auto medicação não deve ser considerada nestes casos, pois pode ter consequências graves.

Entre os medicamentos mais comuns estão:

Gotas Oftálmicas

Os colírios, lágrimas artificiais, antialérgicos e antibióticos que vê nesta apresentação estão entre os medicamentos que o oftalmologista prescreve para um paciente com blefarite.

Antibióticos

A blefarite está associada à presença de bactérias, portanto o uso de antibióticos, seja na forma de pomadas, comprimidos ou gotas, não é surpreendente. A dosagem depende de cada caso, por isso é importante seguir as instruções do especialista.

A higiene das pálpebras é importante quando tem blefarite

O que é a blefarite e como fazer uma correta higiene palpebral

Para que as pálpebras e os olhos em geral permaneçam saudáveis, é essencial o cumprimento das medidas de higiene. No caso de um paciente com blefarite, esta regra assume uma força ainda maior, uma vez que a cura depende da não proliferação de bactérias.

A limpeza deve ser feita desde as mãos, ao cabelo e à pele em geral. O uso de shampoo medicado, com propriedades antibacterianas, é recomendado para a higiene geral de um paciente com blefarite.

Embora possa ser considerada uma condição menor, a blefarite, caso complique, pode tornar-se um problema crónico, pode comprometer a qualidade de vida de uma pessoa por um longo período de tempo e até mesmo provocar uma deficiência visual.

Métodos clínicos de higiene das pálpebras

Além dos métodos de limpeza caseira das pálpebras, há tratamentos mais específicos que o oftalmologista realiza no seu consultório para ajudar na higiene das pálpebras.

Isso inclui a mico esfoliação das pálpebras, que consiste numa limpeza profunda das bordas das pálpebras. Existem também aparelhos eletrónicos que utilizam o calor e massajam a área dos olhos para ajudar a descongestionar as glândulas sebáceas nesta área.

Estes e outros procedimentos devem ser realizados por mãos experientes no consultório do oftalmologista.

A blefarite é uma doença que causa desconforto ao paciente e, caso seja complicada, pode ter consequências que ninguém quer experimentar. Em vista disso, é essencial tomar medidas preventivas ou consultar um médico caso suspeite que tem essa condição.


Artigos Relacionados

Pesquisa

Temas
Conforto superior ao longo de todo o mês com as Lentes Hydrasense Lentes de Contacto

Top 10 artigos

Top 10
Olhos Secos e Sensiveís com BioNatural Líquidos
Opiniones de Clientes en Lentes de Contacto 365
Apesar do elevado número de encomendas, todos os pedidos estão a ser expedidos com normalidade. Saiba mais »