• Nº1 na Opinião dos Clientes
  • Poupe até 50% face às óticas de rua
  • Envio Rápido 24h a 48h
  • -20% Óculos de Leitura

Apoio ao Cliente
Apoio ao Cliente

4 principais doenças na córnea

Doenças na córnea

A córnea é uma camada fina, flexível e transparente localizada na parte frontal do globo ocular, antes da pupila e da íris. Serve como uma lente, através da qual a luz entra no olho. É flexível, mas ao mesmo tempo um tecido delicado.

Há um número infinito de patologias que comprometem a saúde visual. No entanto, vamos concentrar-nos naquelas que frequentemente afetam o funcionamento da córnea e, portanto, aquelas que requerem consulta urgente com um especialista para obter melhorias.

Opacidade corneana, blefarite, conjuntivite e queratocone são as quatro doenças na córnea que serão discutidas neste artigo.

1. Opacidade corneana: quando a córnea perde transparência

A opacidade corneana têm uma origem genética ou pode também, ser causada por outras doenças. Por exemplo, existem infeções na córnea ou ceratite, causadas pelo herpes simplex ou pelo uso inadequado de lentes de contacto que acabam por afetar a córnea.

Uma condição que causa opacidade na área central da córnea é conhecida como leucoma. Está ligado à anomalia de Peters, que afeta profundamente o tecido corneal. Uma complicação ocorre quando a lente adere à opacidade e assume a aparência de uma catarata.

O que acontece quando sofre de opacidade corneana

A opacidade corneana afeta um ou ambos os olhos. O doente perde a acuidade visual, aufere ambliopia ou cegueira, especialmente quando a condição está localizada no centro da córnea.

Uma córnea nublada ou esbranquiçada é visível a olho nu. Para além da deficiência visual, há um aumento da pressão intraocular.

A consulta precoce com um oftalmologista reduz o risco de perda da visão devido a esta causa. Se a opacidade estiver ligada ao glaucoma e às cataratas, a opção cirúrgica estará entre as considerações do especialista.

Uma solução para esta patologia foi, durante muito tempo, o transplante da córnea, também chamado queratoplastia penetrante. Agora, a ciência tem colocado a queratoprótese em primeiro plano como tratamento mais eficaz para a opacidade corneana, especialmente em crianças.

Opacidades congênitas e adquiridas da córnea

Quando a opacidade corneana é congênita por natureza, geralmente é causada por uma má formação do segmento anterior do olho. Isto inclui glaucoma congênito, dermoide, distrofias da córnea, anomalia de Peter e esclerocórnea, entre outras condições.

As opacidades corneanas adquiridas são causadas por infeção ou trauma, resultando em lesões e obstrução da membrana.

2. Blefarite: uma inflamação das pálpebras que pode alcançar a córnea

Quando as glândulas sebáceas nos folículos pilosos das pálpebras ficam bloqueadas, ocorre uma inflamação na área que, ao causar infeção e atingir o tecido ocular, torna-se um problema grave. Isto é conhecido como blefarite.

A origem da blefarite é diversa: ácaros das pestanas, infeção bacteriana, reação a medicamentos ou mau funcionamento das glândulas sebáceas. Os sintomas incluem prurido e o aparecimento de crostas ou escamas na área das pálpebras.

Existem dois tipos de blefarite: a blefarite anterior, que ocorre na borda externa frontal da pálpebra, e a blefarite posterior, que afeta a borda interna, adjacente ao globo ocular.

O primeiro tipo de blefarite é geralmente causado por bactérias, alergias, caspa ou pela presença de ácaros nas pestanas.

Entretanto, a blefarite posterior ocorre quando as glândulas meibomianas funcionam de forma anormal. Certas condições de pele, como a rosácea, desempenham um papel no desenvolvimento da blefarite.

Quais são os sintomas da blefarite?

Quando sofre de blefarite, geralmente sente os olhos ardentes, lacrimejo, sensação de areia, picadas, pálpebras inchadas e irritadas, olhos secos, bem como a formação de crostas, escamas ou úlceras ao redor do olho.

Para além destes sintomas, os danos podem tornar-se mais graves e causar visão turva e inflamação dos tecidos internos, tais como a córnea. Isto faz com que seja necessário procurar atenção médica imediata, de modo a evitar consequências infelizes.

O médico determinará, uma vez realizada a avaliação, se é blefarite, a que tipo pertence de acordo com o que observa e que tratamento deve ser seguido.

Como curar a blefarite

Existem algumas medidas comuns que são normalmente implementadas quando confrontadas com blefarite, incluindo a aplicação de compressas quentes para soltar as crostas e removê-las. Também é muito comum lavar a área com uma mistura de água e champô para bebé.

O uso de antibióticos, pomadas e lágrimas artificiais está sujeito à prescrição do médico responsável pelo tratamento. Embora sofrendo desta condição, o uso de maquilhagem e lentes de contacto deve ser evitado, e a higiene de toda a área dos olhos deve ser mantida.

"Leia também: Posso usar lentes de contacto e maquilhagem?"

3. Conjuntivite, uma doença ocular que provoca muita irritação

Quase todos, em algum momento, sofreram de conjuntivite, essa infeção ou inchaço da membrana externa do globo ocular, causa vermelhidão, lacrimejo, ardor e secreções que aderem às pálpebras.

Esta condição é causada quando os vasos sanguíneos na conjuntiva, a membrana que cobre parte do olho, ficam inflamados. É de origem viral ou bacteriana e altamente contagiosa. Uma pessoa infecta outra através do toque, depois de os dedos tocarem nos olhos.

Os sintomas comuns incluem irritação ocular, sensação de areia, corrimento, picadas, ardor e lacrimejo.

Vírus e bactérias responsáveis pela conjuntivite

Quando bacteriana, a conjuntivite é causada pelos agentes responsáveis pelos estreptococos e infeções estafilocócicas. Quando a conjuntivite é causada pelo vírus, consequentemente é causada pelos mesmos vírus que transmitem o resfriado comum e o herpes simplex.

Da mesma forma, alguns alergénios causam conjuntivite, em resposta ao que o organismo considera um processo infecioso, quando está na presença de um processo inflamatório. É o caso do pólen.

Tratamento e prevenção da conjuntivite

Dependendo do tipo de conjuntivite, o médico prescreverá o tratamento adequado. Se for uma condição bacteriana, provavelmente prescreverá antibióticos, seja na forma de gotas, pomadas ou via oral. Dentro de alguns dias, a inflamação e a irritação desaparecerão.

Tratamento e prevenção da conjuntivite

No caso da conjuntivite viral, não há tratamentos específicos. Os sintomas devem ser tratados com compressas frias e outros paliativos. Os sintomas desaparecerão após cerca de uma semana.

Quando for de origem alérgica, o médico prescreverá um anti-histamínico para neutralizar a inflamação, que estará disponível em diferentes formas.

Para prevenção, as medidas mais recomendadas são a higiene, evitar tocar os olhos, lavar as mãos frequentemente e usar toalhas limpas para secar o rosto. É sugerido não compartilhar cosméticos e verificar periodicamente as lentes de contacto, caso seja um usuário de lentes de contacto.

4. Queratocone: uma deformação da córnea

Ocorre quando a córnea vai deformando progressivamente, perdendo a sua forma de cúpula e tornando-se alongada e em forma de cone. As suas causas incluem outras doenças, fatores hereditários e certos hábitos.

Se as fibras proteicas microscópicas (colagénio), que ajudam a manter a saúde da córnea, enfraquecem, a membrana corneana não consegue manter a sua forma natural e torna-se cónica. Isto é desencadeado quando os antioxidantes que protegem o olho não são suficientes.

Um paciente com queratocone sofre de limitações visuais que são remediadas pelo tratamento, encaixe das lentes, entre outros procedimentos que ajudam a ultrapassá-lo.

Causas comuns da queratocone

Os fatores genéticos ou hereditários predeterminam o desenvolvimento desta patologia. Se alguém da sua família o tiver, é provável que você ou os seus filhos venham a sofrer com isso. Daí a importância do diagnóstico precoce, o que lhe permite antecipar os primeiros sintomas.

A queratocone normalmente começa a aparecer na adolescência. No entanto, o seu início na infância ou na vida adulta não está excluído.

Além disso, foi encontrada uma ligação entre algumas condições sistémicas como a síndrome de Ehlers-Danlos, a síndrome de Down, a retinite pigmentosa, a osteogênese imperfeita e a queratocone.

Sabe-se que a inflamação alérgica também pode danificar a córnea e levar ao aparecimento da queratocone, assim como hábitos comuns, como esfregar os olhos. As pessoas de ascendência africana e os latinos também são mais propensos a sofrer de queratocone.

Quais são os sintomas de queratocone?

Quando a córnea muda a forma da sua superfície anteriormente lisa, torna-se irregular, causando astigmatismo, um defeito visual que o impede de ver claramente os contornos. A expansão da córnea causa miopia, de modo que somente objetos que estão perto de si são visíveis claramente.

Da mesma forma, será um sintoma quando olhar apenas com um olho, a visão dupla, figuras borradas, riscas, objetos que parecem flutuar, halos e luzes, assim como imagens borradas, em geral.

Qual é o tratamento para a queratocone?

Após avaliação pelo oftalmologista, provavelmente será prescrita uma receita de óculos ou lentes de contacto rígidas permeáveis a gases. Também é de salientar o tratamento de reticulação de colagénio, ou a colocação de pequenos anéis que moldam a córnea à sua forma original e melhoram a visão.

Como último recurso e em casos muito avançados, o transplante da córnea é considerado como uma solução. É uma operação segura com uma alta probabilidade de sucesso.

As doenças que afetam a córnea colocam em risco a qualidade de vida dos pacientes, pois reduzem a sua capacidade visual. A prevenção e o tratamento precoce são as melhores estratégias para salvaguardar a saúde dos olhos.


Artigos Relacionados

Pesquisa

Temas
Conforto superior ao longo de todo o mês com as Lentes Hydrasense Lentes de Contacto

Top 10 artigos

Top 10
Olhos Secos e Sensiveís com BioNatural Líquidos
Opiniones de Clientes en Lentes de Contacto 365
Apesar do elevado número de encomendas, todos os pedidos estão a ser expedidos com normalidade. Saiba mais »